sexta-feira, 22 de abril de 2016

Ideais corrompidos


Eu sou uma pessoa romântica e idealista na minha essência, acredito no melhor das pessoas, se as pessoas realmente querem mudar elas podem. Acredito também que ninguém é mau por inteiro, sempre há um motivo por trás das ações e dos pensamentos das pessoas.

No entanto, o mundo me mostra a cada dia da minha existência que essa realidade pertence a um universo paralelo. As pessoas podem sofrer traumas, isso pode talvez explicar de onde surgem os desvios de personalidade e mentais de alguém, mas não justificam o dano intencional que ela causa a outrem.

As vítimas são dos mais variados tipos e os motivos para a sua vitimização são dos mais diversos. Uma mulher pode ser vítima apenas pelo seu gênero, ela pode ser vítima do machismo, da sociedade, de um chefe assediador, de um colega de trabalho, de quem vai passando na rua. A falta de respeito existente na nossa sociedade é impossível de ser dimensionada.

E a cada dia eu descubro quão difícil é ser mulher nesse mundo opressor e sexista. Uma mulher não perde o seu valor apenas pelo seu gênero, ou pelo menos é o que a lei nos faz acreditar, pois no artigo 5º da Constituição Federal do Brasil "todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza...", sendo ainda mais específico no inciso I desse mesmo texto legal "homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações...". Logo, toda e qualquer ofensa dirigida ao gênero é uma violação direta a Carta Magna brasileira.

Serei ainda mais sincera na minha opinião e afirmo que até pouco tempo eu era ingênua e acreditava que o mundo não era tão opressor e sexista, e eu tinha a chance de provar o meu valor para a sociedade sem sofrer danos, mas eu estava completamente enganada.

Como eu disse antes, eu sou romântica e idealista, acreditava já ter visto de tudo e saber de tudo o que era importante, mas quando nós não presenciamos os erros, os crimes, os preconceitos, a violência, nós somos inocentes e nos deixamos acreditar que o mundo mudou e as leis funcionam e são aplicadas. A verdade é que a realidade é o oposto do esperado.

Não interpretem esse texto como algo pessimista, se você o fizer não terá compreendido a essência. Esse texto é um alerta para os românticos, os quais acreditam que tudo está "muito bem, obrigada". Isso é uma mentira enorme! Nada está bem ou resolvido. Temos que continuar lutando por respeito, pois esse é um substantivo completamente escasso no âmbito social brasileiro.

A guerra só será vencida quando o último soldado deixar de lutar e nós não podemos deixar de reivindicar os nossos direitos, não podemos permitir que criminosos saiam impunes de seus crimes. Vamos pôr os medos e receios de lado, sejamos corajosos e lutemos por um mundo melhor, livre de violência,

Um grande abraço.

2 comentários:

Wilton Bezerra disse...

Desculpem-me, meninas, sei que estou sendo um metido. Mas, este é um excelente texto, e eu não poderia deixar de comentá-lo.
Destaco, em especial, o fragmento: "quando nós não presenciamos[...] somos inocentes". Frase que eu concordo plenamente.
Aliás, todo o texto é de uma qualidade esmerada, como não concordar plenamente.

Egle Karoline disse...

Agradeço o comentário, Wilton.
Fico feliz que tenha gostado do texto e lhe convido a acompanhar o blog sempre que desejar.
=)